EM TORNO DE PROMETEU ENCONTROS SOBRE O SER E O PENSAR

 

 

 

"EM TORNO DE PROMETEU – ENCONTROS SOBRE O SER E O PENSAR “ 1ª Sessão - 27 de OUTUBRO 2017 | Local: Teatro da Comuna | hora: 21h30

FORMAS DE IDENTIDADE Com a participação de: Filomena Barata| Marta Bobichon Loja Neves Manuel Cândido Pimentel | José Pacheco Pereira Moderador: Luís Resina ________________________________________________________________________ "Em torno de Prometeu - Encontros sobre o Ser e o Pensar", são conversas que acontecem uma vez por mês (ultima sexta-feira), no Teatro da Comuna na Praça de Espanha. Procura-se com estas conversas informais, trazer à luz temas significativos da actualidade ou visões que pensamos poderem vir a materializar-se num futuro próximo. Pretendemos no presente, visualizar o futuro, sem esquecer evidentemente as heranças do passado. ________________________________________________________________________ FORMAS DE IDENTIDADE Questionar-se-á o sentido de pertença. O que é ser português, ser monárquico ou republicano, ser de um partido, de um clube ou associação, ser democrático, ser nacionalista, ser xenófobo... Quais as implicações da afirmação "eu sou" seja feita no sentido filosófico, religioso, partidário, ou por exemplo, quando afirmamos: eu sou um agnóstico ou eu sou um homem de ciência?! Todas estas formas de ser serão analisadas à luz de uma Astrosofia transpessoal, implicando o entendimento da noção de "eu" até se alcançar uma consciência mais alargada, à escala planetária. O conhecimento de cada Era astrológica pode também ajudar-nos a ver quais os modelos que a humanidade precisou de desenvolver para chegar ao estado em que se encontra e, a partir desse ponto, observar melhor tentando descortinar quais os modelos que se poderão desenvolver no futuro. Onde está a identidade que procuramos e porque é que o mito de prometeu nos pode ajudar nessa busca?
Esta conversa tem a moderação de Luís Resina.

Sobre Luís Resina: Desde 1975 que se dedica ao estudo do Simbolismo, das Histórias das Religiões e das designadas Ciências Herméticas. Frequentou o Curso de Filosofia da Faculdade de Letras de Lisboa, altura em que começou a dedicar-se à prática Astrológica. O interesse pela Astrologia surgiu pelo estudo da obra de Fernando Pessoa, investigador da área Esotérica e Astrológica, e também, pela necessidade de uma via que conduzisse ao auto-conhecimento. Os estudos de Astrologia iniciaram-se através de um pequeno curso promovido pelo Centro Rosacruciano de Lisboa, em 1978. Desde aí tem vindo a desenvolver trabalhos de pesquisas nos campos da Astrologia Tradicional, Humanista, Transpessoal e Jungiana. Em 1987 é Cofundador do Quiron-Centro Português de Astrologia e a partir daí passa a lecionar alguns dos saberes tradicionais. Em 2005 é Cofundador do Projecto Holístico "Quinta dos Lobos"; em 2007 funda o Jornal Electrónico Milénio, em 2008 cria a Comissão Organizadora do I Congresso Internacional de Sincronização com o Planeta Terra. Fundador em 2009 do Espaço Salitre, Centro Holístico dedicado aos Saberes Tradicionais. Organizador e orador do Congresso Internacional de Sincronização do Planeta Terra em Junho de 2009. Organizador e orador no Colóquio “A Missão de Portugal no Mundo” em Junho de 2010 em Lisboa. Fundador do Espaço Espiral-Salitre em Fevereiro de 2011. Juntamente com o Movimento Despertar Portugal foi organizador do Colóquio Convergência e Unidade em Portugal na ESMTC em Maio de 2011. Organizador do 2º Colóquio promovido pelo Movimento Despertar Portugal intitulado "Despertar a Consciência em Portugal" no Hotel Sana Lisboa em Novembro de 2011. Fevereiro 2012 - faz parte da direção da Associação, Movimento Despertar Portugal. O seu último Livro foi publicado em 16 de Março 2012: "Astro Biografia de Fernando Pessoa, seguido de Portugal - A Mensagem da Mensagem" Edições Mahatma. Co-organizador através do Projeto Convergir da Celebração do Solstício de Inverno de 2012 e final do Calendário Maia na ESMTC em Lisboa. 2015 – Orador no Congresso Luso-Brasileiro de Astrologia na Expo em Lisboa. 2016 – Orador no Congresso Internacional de Astrologia na Maia – Porto. CONVIDADOS:

FILOMENA BARATA nasceu em Luanda, Angola, 18 de Maio de 1957. É Licenciada em História pela Faculdade de Letras de Lisboa e concluiu o Mestrado de Arqueologia na Faculdade de Letras do Porto, em 1997. É técnica Superior da Direcção Geral do Património Cultural do Ministério da Cultura. Foi, Directora Regional de Évora do extinto Instituto Português do Património Cultural de 2001 até 2008. Foi Assessora da Direcção do IMC (Instituto Português de Museus), em 2009. Leccionou na Universidade de Évora, nos anos de 2005-2006, as disciplinas de Epigrafia e Arqueologia da Romanização. Leccionou em Angola, no Instituto Superior de Porto Amboim, História do Direito Romano, em 2015. Tem participado de inúmeros colóquios e congressos sobre Património Histórico-Arqueológico e Artístico, bem como sido responsável por várias mostras museológicas, tendo vasta obra publicada no âmbito do Património Cultural e Herança Romana. Foi corresponsável pelo Programa «Itinerários Arqueológicos do Alentejo e do Algarve», um programa em colaboração entre a Secretaria de Estado da Cultura e do Turismo. Foi Responsável pelas Ruínas de Miróbriga e pelo seu programa de Valorização até 2009. Fez parte do Conselho Editorial do Consórcio da Cidade Histórico-Artística e Arqueológica de Mérida e foi correspondente portuguesa da Revista de Arqueologia, Madrid. É cronista da Revista Incomunidade. Foi responsável científica da «Revista Portugal Romano». É responsável pela página A Lusitânia. Pertence ao CIDHEUS, Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades.Univ. Évora.

 

JOSÉ PACHECO PEREIRA nasceu na cidade do Porto, no dia 6 de Janeiro de 1949, na freguesia do Bonfim. Filho de Álvaro Gonçalo de Lima Pacheco Pereira e de Maria Celina Machado e irmão de Maria Beatriz Machado Pacheco Pereira Dorminsky de Carvalho, fundadora do Fanstasporto (1981), com o marido, Mário Dorminsky. Pacheco Pereira foi intelectualmente influenciado, desde os dezasseis anos, pelo amigo Eugénio de Andrade, que o levou a ler obras clássicas da literatura e da poesia, de autores como Thomas Mann, Hermann Hesse, Marguerite Yourcenar ou Rainer Maria Rilke. Ainda jovem envolveu-se na vida política, em movimentos de oposição ao regime fascista, num período de forte contestação estudantil que teve o seu ponto alto no Maio de 68, em França.
No final dos anos sessenta iniciou a sua vida académica na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, passando depois, no ano letivo de 1968/1969, para o curso de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Em 1971, concluiu o bacharelato com a classificação final de catorze valores. No mesmo ano, traduziu A prática – De onde vêm as ideias justas, de Mao Tsé-Tung, com Maria Helena Parreiro, e Cartas sobre o materialismo histórico de Friedrich Engels. Então politicamente ligado ao maoísmo, fundou no norte do país o PCP (M-L) e na sequência do assalto da PIDE à sua casa, em 1973, passou a viver na semiclandestinidade até 11 de Março de 1975, porque, apesar da Revolução dos Cravos, o partido continuava momentaneamente ilegal. Depois da sua legalização, abandonou o Partido Comunista e, em seguida, o marxismo-leninismo. Regressou à Faculdade para terminar o curso, em 1978, obtendo a classificação final de catorze valores. Entre 1980 e 1987 foi assistente no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE). Em 1983 lançou a revista Estudos sobre o comunismo: Boletim de estudos interdisciplinares sobre o comunismo e os movimentos comunistas. E, em 1984, com João Carlos Espada e Manuel Villaverde Cabral, fundou o Clube da Esquerda Liberal. Em 1986 retomou a atividade política, ao participar na primeira candidatura de Mário Soares à Presidência da República, tendo integrado, inclusivamente, a Comissão de Honra do MASP. Em 1987 foi eleito deputado como independente nas listas do PSD, partido ao qual se juntou formalmente em 1988. Foi deputado durante três mandatos na Assembleia da República e chegou a líder do Grupo Parlamentar do PSD, cargo do qual se demitiu por divergências com o Secretário-Geral, Fernando Nogueira. Foi presidente da Distrital do PSD de Lisboa, cargo que abandonou para a ele se recandidatar, embora acabando vencido pelo seu oponente, Duarte Lima. Foi membro da Delegação da Assembleia da República à Assembleia da NATO e Presidente do Subcomité da Europa de Leste e da ex-URSS, da Comissão Política da Assembleia do Atlântico Norte. Foi também Vice-Presidente do Instituto Luso-Árabe para a Cooperação. Nas eleições legislativas de 1995 foi cabeça de lista pelo círculo eleitoral de Aveiro, enfrentando, muito acesamente, figuras como Paulo Portas, do CDS-PP, e Carlos Candal, do PS. Em 1999, a convite de Durão Barroso, encabeçou a lista do PSD às eleições para o Parlamento Europeu. Em 2002 foi de novo cabeça de lista do seu partido nas eleições legislativas, mas desta vez pelo círculo eleitoral do Porto; contudo, por ser deputado europeu não assumiu o cargo de deputado na Assembleia da República para que foi eleito. Foi Vice-Presidente do Parlamento Europeu entre 1999 e 2004. Neste último ano foi nomeado embaixador de Portugal na UNESCO, mas apenas um mês depois da divulgação do cargo demitiu-se ao saber que Santana Lopes iria substituir Durão Barroso no lugar de primeiro-ministro. Além da sua precoce atividade política, cedo também se dedicou à escrita e à crítica. Colabora regularmente em vários órgãos da comunicação social. É cronista do jornal Público e da revista Sábado, tendo já publicado crónicas e artigos de opinião no Jornal de Notícias, no Semanário, no Comércio do Porto e no Diário de Lisboa. É comentador político de televisão, em programas como a Quadratura do Círculo, do canal SIC Notícias, que sucedeu ao programa radiofónico Flashback da TSF. E é comentador do Rádio Clube Português. Profere conferências com regularidade e é autor de várias obras, entre as quais se pode destacar a biografia de Álvaro Cunhal. Coordena e prefacia livros sobre Política, Sociologia e História e tem dois blogs (Abrupto e Estudos sobre o Comunismo). Foi professor na Universidade Autónoma de Lisboa e é atualmente docente do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE). É membro de várias academias científicas e também colaborador de revistas especializadas. Possui uma extensa biblioteca privada, na sua casa da Marmeleira, com milhares de livros, onde guarda o material recolhido sobre os movimentos marxistas-leninistas
e radicais, publicados até ao fim dos anos 70 do século XX. Nas comemorações do 10 de Junho de 2005, recebeu a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, uma condecoração concedida pelo Presidente da República Jorge Sampaio. https://ephemerajpp.com/

 

MANUEL CÂNDIDO PIMENTEL é Professor Associado da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, coordenador da área científica de filosofia da mesma faculdade , membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa, sócio-fundador e vice-presidente do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, académico da Academia Brasileira de Filosofia e do Instituto Brasileiro de Filosofia. Foi Professor da Universidade dos Açores, onde iniciou a sua vida académica, Professor Secretário da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, Coordenador Científico da Área Científica de Filosofia da mesma Faculdade e Diretor das seguintes unidades de I&D da Universidade Católica Portuguesa: CLCPB - Centro de Literatura e Cultura Portuguesa e Brasileira; GEPOLIS - Centro de Estudos de Filosofia e Cidadania; CEFi - Centro de Estudos de Filosofia (de que foi o fundador). Fundou e dirigiu, até julho de 2013, a coleção «Estudos de Filosofia» (Universidade Católica Editora). Tem orientado os seus interesses para a cultura filosófica portuguesa, luso-brasileira e hispano-americana, bem como para a ética e a filosofia do conhecimento, coordenando e participando, nestas áreas, em múltiplos projectos de unidades de I&D, organizando congressos, colóquios e seminários nacionais e internacionais. Em 2008, foi Presidente da Comissão Organizadora do ano Vieirino — Comemorações do IV Centenário do Nascimento do Padre António Vieira. Investigador integrado do CEFi, tem colaborado regularmente com o Centro de Estudos de Ciências da Comunicação e Cultura (Universidade Católica Portuguesa), Centro de Estudos do Pensamento Português (Universidade Católica Portuguesa), Centro de Filosofia (Universidade de Lisboa) e Instituto de Filosofia (Universidade do Porto). Salientam-se as obras Antero de Quental: Uma Filosofia do Paradoxo (PDL, 1993), Filosofia Criacionista da Morte (PDL, 1994), Odisseias do Espírito (Lx, 1996), A Ontologia Integral de Leonardo Coimbra: Ensaio sobre a Intuição do Ser e a Visão Enigmática (Lx, 2003), De Chronos a Kairós: Caminhos filosóficos do Padre Antônio Vieira (Brasil, 2008) e Razão Comovida (Lx, 2011). Organizou e orientou cientificamente o vol. IV da História do Pensamento Filosófico Português (Lx, 2004). Organizou e assinou, pessoalmente ou em co-autoria, os
seguintes títulos, entre outros: Os Longos Caminhos do Ser: Homenagem a Manuel Barbosa da Costa Freitas (Lx, 2003); Immanuel Kant nos 200 anos da sua morte (Lx, 2006); Vergílio Ferreira no cinquentenário de Manhã Submersa: Filosofia e Literatura (Lx, 2007); D. Frei Amador Arraiz no IV centenário da edição definitiva dos Diálogos (Lx, 2010); Simone de Beauvoir: Olhares sobre a mulher e o feminino (Lx, 2010); Uma jornada vieirina em Évora (Lx, 2011); Mário Saa: Poeta e Pensador da Razão Matemática (Lx, 2013), estudos sobre o Padre António vieira (Lx, 2017)

 

MARTA LOJA NEVES estudou Ciências Políticas e Ajuda Humanitária na Bélgica. Em 1999, a convite do Prémio Nobel da Paz José Ramos Horta, fez parte da delegação timorense junto da Comissão dos Direitos Humanos das Nações Unidas e integrou a equipa de Xanana Gusmão, em Jacarta - prisão de Cipinang, aquando do referendo pela autodeterminação de Timor-Leste. Trabalhou durante mais de oito anos no Parlamento Europeu, essencialmente na área dos direitos humanos e, em especial, no dossier dos chamados voos da CIA e dos prisioneiros de Guantánamo, na reinstalação de refugiados, na situação dos direitos fundamentais na Hungria e na reflexão sobre os recentes e preocupantes recuos em matéria de liberdades civis e de direitos humanos nos países da União Europeia. Depois de 15 anos fora do país, regressou a Portugal em outubro de 2014 e é desde então produtora executiva na RTP. _________________________________________________________________ Para mais informações e marcações: 91 9175069 | Email: prometheus.portugal@gmail.com

Please reload

Featured Posts

Rui Leal - consultas

November 25, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts

November 25, 2019

Please reload

Archive